Estrutura Curricular

MESTRADO EM HISTÓRIA/PPGH - UFBA 

Código: M071009

Carga Horária:Optativas mínima 204h e obrigatórias 136h

Prazo Para Conclusão: mínimo 12 meses e máximo 24 meses

 

Disciplinas obrigatórias do currículo

FCH505/20041 - METODOLOGIA DA PESQUISA - 68h

Ementa: O objetivo desta disciplina é discutir métodos, fontes e técnicas de pesquisa a partir da leitura crítica e discussão dos projetos de pesquisa apresentados pelos mestrandos ao se submeterem à seleção. No final do seminário, esses alunos terão reformulado seus projetos e estarão prontos para darem início à coleta de dados.

FCH526/20041 - HISTÓRIA SOCIAL - 68h

Ementa: Dicussão das principais correntes e temas em História Social com base em textos historiográficos, teóricos e monográficos. Análise de conceitos chaves da História Social, tais como: estratificação e grupos sociais, movimentos sociais, formação de classe, etnicidade, classe, gênero e poder.

 

Atividades obrigatórias 

FCH790/20151 - PESQUISA ORIENTADA

FCH939 - ESTÁGIO DOCENTE ORIENTADO

FCH794/20151 - EXAME DE QUALIFICAÇÃO

PPGH001 - TRABALHO DE CONCLUSÃO

 

Disciplinas optativas

FCH500/20041 - TÓPICOS AVANCADOS EM HISTÓRIA SOCIAL DO TRABALHO - 68h

Ementa: Este curso tem como objetivo central examinar obras que marcaram os estudos sobre a história dos movimentos operário e sindical em vários países e que servem como referenciais possíveis para uma releitura crítica da historiografia brasileira sobre o assunto. A bibliografia focalizada inclui textos teóricos, resenhas e capítulos de monografias históricas, procurando dar uma visão de conjunto sobre os debates e tendências emergentes na bibliografia nacional e internacional.

FCH650/20041 - A ICONOGRAFIA COMO DOCUMENTO HISTÓRICO - 68h

Ementa: Esta disciplina trata, em um primeiro momento, da definição de iconografia e explora roteiros de possibilidades de emprego de imagens como documentos históricos, contextualizando-as e relacionando-as com os fatos e documentos históricos.

FCH651/20041 - AFIRMAÇÃO ÉTNICA E CONFLITO SOCIAL: O MOVIMENTO NEGRO NO BRASIL - 68h

Ementa: Estudo da trajetória histórica do movimento negro no Brasil. As entidades negras nos primórdios luta pela construção de uma identidade afro-brasileira. A valorização do povo negro em face do "racismo científico". Vida e morte da FNB: seus êxitos e sua tragédia. A consciência negra em face das lutas da classe operária. "A tensão racial brasileira" nos quadros do "racismo cordial". A efervescência cultural afro-brasileira às vésperas do golpe de abril. As organizações negras e a questão democrática. O movimento negro e a crise brasileira. Negritude e pós-modernidade. Impasses e limites ou a crise de paradigmas.

FCH652/20041 - ÁFRICA: CIENCIA E COLONIALISMO - QUESTÕES TEÓRICAS - 68h

Ementa: O curso tem como objetivo discutir as formulações científicas e/ou acadêmicas acerca da África e dos africanos, particularmente através da análise de alguns dos conceitos, ou preconceitos, tais como raça & racismo, tribo & tribalismo, etnia & etnicidade e classe e suas relações com a história do colonialismo na África, através do estudo de obras do século XIX e da atual historiografia africanista.

FCH653/20041 - AS NAÇÕES AFRICANAS DO BRASIL - 68h

Ementa: Discute os grupos étnicos africanos no Brasil a partir dos novos "laços de nação" que presidiram a organização das comunidades africanas durante o período escravista.

FCH654/20041 - AUTORITARISMO, PATRIMONIALISMO E HEREDITARIEDADE NO PODER... - 68h

Ementa: Pretende-se discutir as relações de poder que se estabelecem na Bahia a partir da Republica Velha, de tal forma que se possa, no final do curso, chegar a um conceito de poder político na Bahia e a um entendimento de sua essência, suas particularidades.

FCH655/20041 - CULTURA AFRO-BRASILEIRA OU CULTURA POPULAR? - 68h

Ementa: Discute a formação da cultura negra a partir das matrizes africanas e suas transformações no Brasil. Analisa as dimensões étnicas e os condicionamentos sociais da constituição da cultura escrava. Discute negociação cultural, empréstimos, circulação, hibridismo, o papel da cultura na resistência negra (e as estratégias de controle, repressão e representação discursiva por parte da elite) sob a escravidão e na liberdade. Aborda a relação entre cultura negra, cultura popular e identidades nacional e regional, em torno de temas como religiosidade, batuques, folguedos, carnaval, festas populares em geral.

FCH656/20041 - CONQUISTA E DOMINAÇÃO: OS POVOS INDÍGENAS NO BRASIL - 68h

Ementa: Estudo dos processos históricos-sociais de conquista, dominação e administração das populações indígenas no Brasil e seus efeitos dissociativos no tocante à reprodução de suas sociedades.

FCH657/20041 - ESCRAVIDÃO COMPARADA - 68h

Ementa: Discute a escravidão de uma perspectiva hemisférica, incluindo Brasil, Estados Unidos, Caribe e América Espanhola. Enfoca temas como natureza da produção e das relações escravistas, perfil e dinâmica da população escrava, formações de culturas afro-americanas e resistência escrava. Estuda clássicos da literatura da escravidão nas Américas.

FCH658/20041 - HISTORIOGRAFIA E MOVIMENTOS SOCIAIS - 68h

Ementa: Estudo da historiografia sobre os movimentos sociais em sua pluralidade temática e em suas análises metodológicas.

FCH659/20041 - HISTÓRIA URBANA BRASILEIRA - 68h

Ementa: Estudo de núcleos urbanos no Brasil entre os séculos XVI e XX, suas origens, destinos - desenvolvimento ou desaparecimento - causas. Estratégias de povoamento ou despovoamento. Foco no estudo da Cidade do Salvador.

FCH660/20041 - HISTÓRIA E ANTROPOLOGIA: EM BUSCA NOVAS FRONTEIRAS REFLEXÃO - 68h

Ementa: 

FCH661/20041 - IMAGENS E ANÁLISE ICONOGRÁFICA - 68h

Ementa: Instrumentalização na utilização da documentação iconográfica. Metodologias de emprego no campo da história.

FCH662/20041 - INDIVÍDUO E IDENTIDADE NA DIÁSPORA AFRICANA - 68h

Ementa: Discute a constituição da identidade étnica e/ou racial a partir da experiência individual dos descendentes de africanos nas sociedades escravistas das Américas, com ênfase no Brasil. Importa tanto o papel do indivíduo negro-mestiço na formação de coletividades étnicas, como o papel dessas coletividades na formação do indivíduo. Analisa o papel dos condicionamentos estruturais (econômicos, demográficos, sociológicos) nas trajetórias individuais, inclusive aqueles relacionados a gênero. Trata também deste indivíduo enquanto mediador cultural, avaliando a modalidade, a intensidade e o impacto de sua circulação nos diversos ambientes sociais e culturais em sociedades multiétnicas. O curso é baseado na leitura e discussão de relatos biográficos e auto-biográficos de negros e mestiços, e terá um cunho comparativo.

FCH663/20041 - INTERPRETAÇÕES DA CULTURA BRASILEIRA - 68h

Ementa: Estudo das produções historiográficas acerca da idéia de cultura brasileira.

FCH664/20041 - INQUISIÇÃO E MORAL SEXUAL NO BRASIL COLONIAL - 68h

Ementa: Estudo da Inquisição Portuguesa e sua atuação na repressão aos desvios da moral sexual no Brasil Colonial. Principais características da estrutura e funcionamento do Tribunal do Santo Ofício. As Visitações do Santo Ofício ao Brasil: procedimentos e sociologia dos culpados. Tipologia dos crimes sexuais: a repressão aos sodomitas.

FCH665/20041 - O ATLÂNTICO AFRICANO BRASILEIRO NO TEMPO DA ESCRAVIDAO - 68h

Ementa: A expansão do império português na direção do Atlântico Sul a partir do século XV estabeleceu através de suas águas as rotas na direção da Índia, ao tempo em que fez descobrirem-se mutuamente as bordas oriental e ocidental deste oceano, a Costa d'África e a Costa do Brasil, criando entre elas necessárias e duradouras relações sociais, econômicas e culturais identificadoras de uma civilização negro-mestiça que se renova e se expande até os dias atuais.

FCH666/20041 - PODER, REGIÃO E SOCIEDADE - 68h

Ementa: Estudo da produção teórico política acerca do Estado, da sociedade civil e da questão democrática empreendida no âmbito da tradição marxista. A critica das concepções hegelianas acerca do Estado e do Direito. Da emancipação humana à revolução: o Manifesto Comunista. Autonomia relativa e "teoria da renúncia" no 18 Brumário . A ampliação do Estado e a transição gradual no último Engels. A interpelação bernsteiniana e a valorização da democracia. A ditadura democrática de Lênin e a refutação kautskiana. Rosa Luxemburg e a democracia revolucionária. Korsh, Mattick, Pannekoek: o comunismo dos conselhos contra o poder dos bolcheviques. Georg Lukács política e ontologia. Antonio Gramsci: a dialética Estado-sociedade civil e a problemática da transição no ocidente.

FCH667/20041 - RESISTÊNCIA ESCRAVA NAS AMÉRICAS - 68h

Ementa: Discute o fenômeno da resistência escrava nas sociedades escravistas das Américas de uma perspectiva comparativa. Analisa os fatores estruturais que favoreceram a resistência nas diversas regiões, as diversas modalidades de rebeldia individual e coletiva, a relação entre cultura e resistência, o perfil dos participantes das conspirações e revoltas, os mecanismos de repressão e controle dos escravos, o impacto da resistência nas sociedades escravistas.

FCH668/20041 - RIQUEZA E ELITE NA BAHIA COLONIAL - 68h

Ementa: O curso enfoca a economia e a sociedade da Bahia, integradas no sistema colonial português. Analisará por um lado as diferentes abordagens da riqueza e da elite colonial e por outro a geração, a acumulação e formas de expressão da riqueza baiana, particularizando os bens da vida cotidiana, os níveis e hierarquia das fortunas e a formação da elite baiana.

FCH669/20041 - SOCIEDADES E IDENTIFICAÇÃO ÉTNICA NA ÁFRICA A EPOCA DO TRÁFICO - 68h

Ementa: Discute as estruturas sociais e as formas de identificação étnica na África Ocidental e Sub-equatorial, entre os séculos XVI e XIX, aprofundando a análise sobre os grupos mais diretamente envolvidos no tráfico transatlântico de escravos.

FCH761/20041 - BAHIA CONTEMPORÂNEA: HISTÓRIA E CULTURA - 68h

Ementa: Discutir as principais tendências e meios que possibilitaram as transformações mais significativas porque passou a Bahia à partir dos anos 40 do presente século. Tomando-se como marco a crise do modelo agrário-exportador, buscar-se-á a identificação dos caminhos que levaram à industrialização, ao crescimento de Salvador, a uma nova regionalidade, sem esquecer o sentido da modernização implementada, o papel da universidade, a questão étnica e o carnaval.

FCH762/20041 - A NOVA HISTÓRIA DA ESCRAVIDÃO NO BRASIL - 68h

Ementa: Discute a recente historiografia da escravidão no Brasil, abordando velhos e novos temas, novos métodos, fontes e abordagens. Discute temas como trabalho rural e urbano, tráfico, demografia, família, resistência e negociação, cultura, alforria e alforriados, movimento abolicionista; métodos quantitativos, etno-história, nova história social, biografia; fontes notariais, eclesiásticas, policiais, imprensa, viajantes, obras de ficção. Busca estabelecer os avanços e limitações da nova historiografia da escravidão.

FCH764/20041 - ÁFRICA NEGRA: COLONIALISMO, MODERNIZAÇÃO, RAÇA E GÊNERO - 68h

Ementa: Estudos dos aspectos da história das sociedades africanas centrando-se nas relações estabelecidas com os europeus, a criação de novos espaços sociais de trabalho e de lazer, as relações entre raça, classe e gênero neste novo contexto. Serão efetuados estudos de caso e serão discutidas as teorias acerca destes conceitos e sua operacionalidade para o entendimento das sociedades da África ao sul do Saara.

FCH765/20041 - PRÁTICAS SOCIAIS E REPRESENTAÇÕES CULTURAIS - 68h

Ementa: Estudo de processos históricos das lutas que organizam o mundo social inscritas nas práticas culturais.

FCH766/20041 - IMAGENS E HISTÓRIA DO BRASIL CONTEMPORÂNEO:TEORIA E PESQUISA - 68h

Ementa: A disciplina pretende oferecer subsídios teóricos da relação imagem/história, focalizando especialmente as especificidades da imagem como fonte de investigação história e sua utilização na prática da pesquisa, trabalhando com exemplos da história contemporânea brasileira.

FCHJ18/20151 - CRISTIANISMO E MARXISMO NA AMÉRICA LATINA - 68h

Ementa: O curso visa discutir os Prenúncios, Aproximações, Refutações e Diálogos entre o Cristianismo e o Marxismo na América Latina desde a segunda metade do século XIX até os dias atuais.

FCHL61 - TE - ÁFRICA CENTRAL E DIÁSPORA CENTRO-AFRICANA - 34h

Ementa: O objetivo do curso é entender como os centro-africanos – 51 por cento dos escravizados introduzidos nas Américas, 76 por cento daqueles desembarcados no Brasil – lidaram com as diversas modalidades de trabalho forçado no Novo Mundo em contextos demográficos e sociais diferentes. O ponto de partida é o reconhecimento do protagonismo consequente (agência) dos cativos. Novas pesquisas indicam que, mesmo sofrendo condições de extrema exploração e violência, os centro-africanos (da África centro-ocidental e centro-oriental), quase todos falantes de línguas bantu, trouxeram consigo recursos culturais largamente compartilhados. Estes permitiam-lhes definir ideias em comum sobre o que caracterizava uma sociedade justa e homens e mulheres de valor. E possibilitavam práticas variáveis para enfrentar circunstâncias individuais e comunitárias diversas, que iam desde o diálogo crítico e eventual aliança com gente de outras tradições culturais, à rebeldia calcada em novas identidades étnicas e de classe com fortes marcadores de suas origens. 

FCHB84/20071 - MULHERES E GÊNERO NAS AMÉRICAS - 68h

Ementa: Estudo das mulheres na trajetória de formação da América Hispânica à luz das discussões sobre gênero e classe.

PPGH000000011 - Globalismos, conexões e impérios: política e religião na Época Moderna - 68h

Ementa: A disciplina "Globalismos, conexões e impérios: política a religião na Época Moderna" tem como objetivo a discussão do papel fundamental da confissão católica nos projetos de expansão ibéricos a partir das perspectivas em voga para o estudo da Primeira Modernidade, como a História Global e as Histórias Conectadas, e de seu impacto sobre a própria ideia de império. O curso se concentrará no exame das questões, abordagens, modelos e conceitos que tais perspectivas apresentam e na expansão da “Igreja militante” como objeto privilegiado para este exercício.